:::CIRANDA BRUXINHA TERRIVEL:::

 

 

PARTICIPANTES

 

1- Cássia Vicente
2- Clara da Costa
3- Isabel C S Vargas
4- Edilson Xavier de Menezes/Edmen
5- José Hilton Rosa
6- JAS
7- Yna Beta
8- Glória Tabet Marson
9- Maria de Fátima Delfina de Moraes
10- José Ernesto Ferraresso
11- Sônia Nogueira
12- Maria Olga de Oliveira Lima
13- Gina Maia

14- There Válio
15- João Coelho dos Santos
16- Zenaide Giovinazzo
17- Narinez Stringhetta/Mara Poeta
18- Sueli do Espírito Santo
19- Eugénio de Sá
20- ZzCouto
21- Lóla Prata
22- Cláudia Couto
23- Nídia Vargas Potsch
24- SoniaRubim
25- Edvaldo Rosam

 

 

 

Santo Delirio

Cássia Vicente

Vejo tudo azul.
Azul como um mar
sem fim ou seria
um céu sem fim?..

Enfim, quando olho azul,
vejo o infinito no mar,
no céu, na terra.
Vejo sem fim...

A caminhada teria fim?
Continua depois da curva?
Depois da placa: Volte sempre?
Sempre há uma resposta
esperando no fim?...

A vida, teria fim?
Qual o tamanho da crença?
Até onde vai a percepção
do sonho?..
Sonho tem fim?...

 

 

SANTO DELÍRIO

Clara da Costa

O silêncio cala na alma,
com pensamentos revoltos
feito temporal
nesse vendaval de saudade.

Na madrugada sem brilho,
O peito anoitece,
Vejo a partida,
Vida fugaz...

Raios e faíscas de paixão,
reveladas em palavras
num coração que
sufoca o grito de dor

quando pede amor
e chora perdido
no silêncio da alma.

 

 

Santo Delírio

Isabel C S Vargas

Este que me sacode com frequência
trazendo momentos já vividos
jamais esquecidos pelo tempo
e revividos dia e noite com intensidade.

Delírios de te ter junto à mim,
deliciar-me, ora com teu sorriso meigo,
ora, com tua gargalhada debochada
ambos sempre inesquecíveis na memória.

O tempo passa e não esqueço teu olhar,
o formato de tua mão, o tom de tua voz
tuas expressões, teu caminhar.
Santo Delírio que te mantém em mim.

 

 

SANTO DELÍRIO

Edilson Xavier de Menezes/Edmen

Como eu gostaria de ser ainda
o delírio de tua emoção,
o devaneio de teus pensamentos e
o colírio de tua visão.
Então eu seria novamente o que fui:
seria teu motivo de ser;
O renascer do amor
e tu serias novamente minha flor.
Como eu gostaria ainda
poder te abraçar e no pensar do teu sentir,
ser teu sol em pleno luar;
Como eu gostaria ainda
de ser teu par e no salão da emoção,
feliz contigo bailar.
Então eu seria novamente
o que fui:
seria teu amor e tu
seria minha flor a perfumar
meu coração em nossa
noite de paixão.

 

 

Santo Delírio

José Hilton Rosa

Após o dia às vezes sonhamos
Na noite perdemos o sono
Quero apenas um carinho
Um beijo sem julgamento
Uma entrega
Sentir o seu corpo maduro
Amor e paixão com liberdade para amar
Este amor é um santo delírio

 

 

Santo Delírio

JAS

Santo delírio como esta paixão que me acompanha
Por que ela ainda não foi embora
Dizem, que Saudade é o inferno dos que perderam
E um santo delírio o que é?

Delirar com seus carinhos
Que ainda permanecem vivos em mim
Após tanto tempo sem você
Quanto tempo durará meu castigo?

Busco todas as madrugadas
Seu corpo para me aconchegar
Mas ele não está
A solidão é minha companheira

Insone sigo meu caminho pecador
Crente que possuo morada permanente
Chega a apertar meu coração
De tanto delírio por ti!

 

 

SANTO DELÍRIO

Yna Beta

Onde estás nesta noite tão fria?
Gélida madrugada que me arrepia
Sofro com minh'alma delirante
E meu peito explode arfante.

Onde estás? Na saudade me sufoco.
Na madrugada já não mais suporto
Essa louca tempestade de paixão.

Onde estás? No delírio só faço gritar
E a todos faço questão de desabafar:
Como sofre este meu pobre coração.
Onde estás?!!!

 

 

Santo Delírio

Glória Tabet Marson

Encontro nada banal,
aos meus olhos, um colírio,
um achado , nada igual...
Eu e ele, santo delírio!

 

 

SANTO DELÍRIO

Maria de Fatima Delfina de Moraes

Viajo na estrela cadente nas madrugadas
em que meus sonhos levam-me a teus braços;
mergulho em teus beijos, carícias te faço
e em santo delírio sou pleno gozo em teu abraço.

 

 

SANTO DELÍRIO

José Ernesto Ferraresso

O mundo gira e gira...
A vida se esvai
não sei para onde me leva
Tenho sonhos e delírios .

Estou me sentindo mal...
Meu corpo não governa
E minha cabeça dói e
cambaleia

De que lado, de que direção tomar
que mundo esquisito
que não tem explicação.
Será que vivo? Sim ou não?

Os meus sentidos divagam...
Este tempo que não passa .
Estou sem saber onde ir
e começo a delirar!

Pensar e deixar o pensamento
levar e ficar no ar.

 

 

Santo Delírio

Sônia Nogueira

No caminho que seguia
A noite ia chegando assim:
Em cada curva que eu via
Era teu vulto no sem fim

O olhar buscava nas trevas
A imagem se desfazia
Em outro pensar eram levas
De nuvens no final do dia

O trote aumentou a busca
A angústia roubava a sena
Ora uma imagem tão brusca
Ora outra imagem plena

Por fim parei frente ao vulto
Desfeito sobre o clarão
Da lua fazendo insulto
Ao delírio do coração.

 

 

Santo Delírio

Maria Olga de Oliveira Lima

Quando chega a madrugada
Vou procurando o descanso...
Quero dormir e sonhar
Com meu anjo que está distante
E que também comigo sonhará
Pois a saudade é bastante.

Fecho meus olhos e vejo:
No sonho ele chegando
Vai assim se aconchegando
Doces beijinhos me dando
E me chamando... Amada!!!
Quero continuar sonhando,
Pois não é apenas um sonho.
É um Santo Delírio que eu sinto
Se estou... semi-acordada.

 

 

S A N T O D E L Í R I O

Gina Maia

Que importa a tempestade
se me devolveste o sol e a lua.
Agora revive em mim a criança
que disfruta duma sensação de bonança
quando se recria e no silêncio dança...
em rodos de Poesia !
É-me indiferente o que me rodeia,
deixei de ter sedes porque me saciei
com o teu amor!
Dele fiz sumptuosa ceia;
-Ainda sinto no meu corpo o forte abraço.
Guardo na polpa dos meus lábios
teus beijos sábios...
Sinto ainda, os mamilos mordiscados.
No ventre um alvoroço.
Depois um delírio imenso, prolongado.
O perfume do teu corpo
deixou o meu, para sempre perfumado!

 

 

Santo Delírio

There Válio

Olhando o azul do céu infinito,
Fico a imaginar ser um pássaro a voar
Santo delírio esse sonho imaginário
Libertando minha mente do real
Essa realidade que muitas vezes é cruel.
Não custa sonhar e se libertar
Deixar a alma viver essa magia
O delírio que a santidade busca
E que a mente humana
Nunca entenderá...
Santo delírio!

 

 

Delírio

João Coelho dos Santos

Terna, sensível, acordou de sonho inigualável,
Verdadeira tortura e delírio.
Timidamente, em constante atmosfera de êxtase,
Por ser tão sensível a uma esperança perdida
E a uma angústia de amor sem esperança,
Foi invadida por degradante desejo de ternura.

 

 

DELIRIOS

Zenaide Giovinazzo

Chega o elevador...
Repentinamente o encontro!
- Bom dia
- Olá, tudo bem?
E o coração treme.
Os beijos tão loucos,
gritos roucos,
a vontade de amar.
Pensamentos rápidos,
tímidos delírios...
A resposta vem quase calada:
- Olá, tudo bem, obrigada...

 

 

Santo Delírio

Marinez Stringhetta/Mara Poeta

Revejo...
Chalé, topo da serra
Aroma floral impera
Pássaros cantam
Encantam
Transpomos o umbral
Estou em seus braços
O fogo crepita
Numa lareira antiga
Tapete felpudo
Taça de vinho
E ali, aconchegados
Entrelaçados...

 

 

Santo Delírio

Sueli do Espírito Santo

Vontade insensata
fruto de uma loucura
que me maltrata
maltrata e me tortura
invade o meu espaço
vive a minha procura
segue meus passos
em todos os lugares
me deixa nos ares
nesse delírio que alucina
coração só imagina
você por perto
neste frio deserto.

 

 

Santo delirio

Eugénio de Sá

De há muito que a insónia me ensinou
a cavalgar a noite
expondo-me ao místimo extâse do silêncio.
Envolvido pelo fumo azulado do cigarro,
e pelas ideias brotadas em tropel,
chega, então, o tempo do confronto
comigo mesmo.
Tempo de prestar preito submisso à consciência,
esse danado avesso do que aparento ser
no palco da minha urbanidade quotidiana.
Íntimos combates esses
onde tímidas, mas insistentes razões,
procuram opor-se à força das tentações
… algumas só prováveis.
Nos pratos oscilantes da virtual balança
são então pesados os “certos” e os “errados”
até que, à míngua de tréguas,
faço a minha batota, soltando a indulgência
e decido roubar no peso de um dos pratos.
E branda, entorpecente, enchendo a sala,
a névoa da expiração do último cigarro do dia
embala-me e traz-me, finalmente, a paz
num sono que tardava em chegar.

 

 

SANTO DELÍRIO!

ZzCouto®

A boca sedenta se não tenho a tua
na falta dos teus beijos sinto tremor.
E assim aumenta o meu desejo
de contigo em delírio fazer amor...

Tenho fome dos teus beijos
que alimentam meu corpo faminto.
O amor me leva para os teus braços
e nos teus braços no paraíso me sinto.

Ao ficar algum tempo sem te ouvir
o peito sofre uma saudade louca.
Meu corpo parece uma chama
e a boca seca da falta de tua boca.

Sei que por mais que disfarce
a ausência do teu corpo é um martírio.
À noite quando por ti chamo
tudo é poesia, Paz, amor e delírio.

 

 

Santo Delírio

Lóla Prata

Edificante o delírio
daquele santo, em amor,
sofrendo em paz o martírio
em nome do Salvador...

 

 

Santo Delírio

Cláudia Couto

Todo esse amor
Delírio e paixão
E essa saudade sem entender
Na presença a lembrança
Na ausência o prazer

 

 

Santo Delírio

Nídia Vargas Potsch

Utopia, Sonho ou Pesadelo?
Sigo na calada madrugada
Prospectando meus infindos ais...

Há aqueles que se foram,
Aqueles que ainda irão,
E as perguntas
nunca encontram
suficientes respostas
Como saber?

Há um Santo Delírio
A comandar nossa Existência
Será que é tudo o que
nos lega de melhor Nossas Vidas?

@Mensageir@

 

 

SANTO DELÍRIO...

Edvaldo Rosa

E eu aqui insone, com as horas tão lentas,
Pensando e sentindo, a sua ausência!
Lembrando...
A tua voz tão rouca, e tão mansa,
Acariciando os meus ouvidos,
Enquanto teus beijos sem inocência,
Percorriam o meu corpo, trêmulo,
De desejos e saliências...
E eu aqui insone, com as horas tão lentas...
Sonhando com as tuas mãos tão ásperas e tão intensas!
Santo delírio a percorrer-me desde as entranhas...
E eu aqui insone, com as horas tão lentas,
Sentindo-me, sem você, tão estranha!

 

 

Santo Delírio

SôniaRubim

E ele naquela noite calma
de palavras esparramadas sob a lua
despertou nela desejos adormecidos
ajuntando segredos tão antigos
santo delírio invadindo a alma nua ...

 

 

 

Adaptado por Mara Pontes

 

 

:::VOLTAR:::