PARTICIPANTES

1- Clara da Costa
2- Luiz Grijó
3- Hamilton Brito
4- Orlando Caetano
5- Mercília Rodrigues
6- Eugénio de Sá
7- There Válio
8- Ary Franco ( O Poeta Descalço)
9- Sérgio Diniz Barros Guedes
10- João Coelho dos Santos

11- Sonia Nogueira
12- Nina Maria
13- Isabel C S Vargas
14- Yna Beta
15- Maria de Fátima Delfina de Moraes
16- Ilze Soares
17- Carolina Ramos
18- Maria Olga de Oliveira Lima
19- Gina Maia
20- Rita Rocha

 

 

 

DEVANEIOS

Desejos passeiam na madrugada
Nua
Silenciosa
Solitária
Sem afeto
O grito, sem eco...

Clara da Costa

 

 

DEVANEIOS

A madrugada sem ti
Passa lentamente
Tão fria
Sem o calor dos teus beijos
E só me fazem companhia
Os meus desejos...

Luiz Grijó

 

 

Devaneio

Hamilton Brito

Sonhei com você...
Vestido de renda
estupenda.
Um amor de amor
só meu...
Ele me deu.
sonhar acordado
devaneio...
Nele, você
viva, inteirinha
mas...não minha

 

 

DEVANEIOS

Na tua sombra
Vejo a minha imagem
Translúcida
A ousadia maior
Da minha timidez

Espreito-te
À distância
Vagueando
Num imenso deserto.
De ti tão longe
Mas já de ti tão perto

Orlando Caetano

 

 

Devaneios

Enquanto as águas silenciosas do mar,
Arrefecidas já, em noite de lua,
A brisa nos traz uma lembrança de amar,
Minha alma chora silente a ausência da tua

Mercília Rodrigues

 

 

Devaneios

Sob o coxim que o ébano estrelou
c'o a magia que Deus empresta à noite
nas horas que Morfeu me consagrou
solta-se o espírito; nada há que o acoite

E nos silêncios do sono profundo
Invado-me de imagens, de destinos
Sem sobressaltos, que ness’outro mundo
Tudo são extases, enlevos divinos

Cegam-se em mim os males desta vida
Nem sei de mágoas ou d’agastamentos
Nos auspícios da noite assim dormida

E há consonância nos meus movimentos
No acordar dessa doce investida
Pelos devaneios dos meus pensamentos.

Eugénio de Sá

 

 

DEVANEIOS

Nos meus sonhos utópicos...
Vejo você me afagando

Cobrindo com seus beijos
Meus lábios sedentos de desejo,

Meu corpo junto ao seu me aquecendo...
Satisfazendo meus anseios sensuais.
A sensação de amar e ser amada,
Completa minha felicidade,

Mas ao acordar solitária e triste...
A cruel realidade se faz presente,
Nos meus infindáveis devaneios...

There Válio

 

 

DEVANEIOS

(Ary Franco - O Poeta Descalço)

Noite alta. Estou sentado no banco do meu jardim.
O luar, peneirado pela folhagem do caramanchão,
Espalha incontáveis e formosas figuras pelo chão.
Minha fiel cadela, chega e se deita perto de mim.

O silêncio reinante é propício e leva-me a meditar.
Como minha vida tem sido ditosa e gratificante!
Sim, feliz graças a Deus, sem ter do que me queixar.
Só dádivas recebi, da minha infância até este instante.
amor perdido.

Aprendi e conformei-me em amar sem ser amado.
Coloquei as adversidades num passado esquecido.
Jamais quedei-me a chorar sobre o leite derramado!

Uma nuvem passageira vem ofuscar o prateado luar.
As figuras no chão se apagam por um breve instante.
Um vaga-lume rabisca a escuridão com sua luz a brilhar.
A lua volta. Sinto vontade de tocá-la, embora distante.

De chofre, Morfeu começa a de mim se apossar.
Minha cabeça se inclina, mas continuo acordado.
Um latido da Bella, parece que está a me chamar.
Entramos em casa. Melhor será eu sonhar deitado!

 

 

DEVANEIOS DO AMOR

Meu coração ficou ferido
quando lhe perdi.
Procurei em vão
por toda cidade,
numa grande ansiedade.
Você sumiu
será que partiu?
Para mim não foi apenas
um amar de férias
foi amor de verdade
com muita vontade.
Acordo de noite
sentindo sua presença,
sinto aproximar-se de mim,
sinto seus toques
suas carícias
mas, fica só à vontade.
Adormeço vencido pelo cansaço,
entretanto continuo a procurar-lhe
até nos meus sonhos,
em devaneios do amor.

Sergio Diniz Barros Guedes

 

 

DEVANEIOS

O tempo perverte
A inocência e a simplicidade.
Enquanto ecoam bramidos do trovão,
Neste jeito para a fantasia do eu erudito,

Sem contrição por pecado patético,
Olhos cobiçosos embarcam em minha barca
Passando a fronteira do teu ser,
Desse corpo esculpido por cinzel divino.
Devaneios…

João Coelho dos Santos

 

 

Devaneios

O sonho entrou na amplidão
Criou asas no espaço te encontrou
Braços que abraçaram em silencio
Coração acelerou, despojou
Olhar despertou com sol da janela...

Sonia Nogueira

 

 

DEVANEIOS...

De repente, meu reflexo no espelho
parece estar saindo pela superfície
prateada, mas apenas o rosto é meu,
com rugas e vincos de anos vencidos,
mas o corpo bonito vestido de noiva,
as mãos lisas de dedos longos, alisando
cabelos escuros, fazem parte do passado,
no qual me perdi, entregue aos meus devaneios...

Nina Maria

 

 

Devaneios

A música ao longe faz dançar meus pensamentos,
Girando em um compasso lento
Como a desfrutar de algo agradável
Que me reporta ao passado.

Tempo em que meu lugar
Era sempre em teus braços
Entrelaçando corpos que se desejavam
Vivendo uma eternidade em cada momento.

Isabel C S Vargas

 

 

DEVANEIO

A madrugada se despedindo...
A lua se escondendo...
O sol surgindo no nascente...
O céu enrubescendo...
Mergulho no mar.
O sal arde meus lábios.
Ainda sinto o calor dos beijos teus.
Um frio intenso percorre minha entranha...
Divagando...
Solitária...
E as ondas, banham meu corpo nu!

Yna Beta

 

 

DEVANEIOS

No lento passar da madrugada
a fria nostalgia...
Recordo nossos beijos,
anseio por teu corpo
a incitar nossos desejos...

Maria de Fátima Delfina de Moraes

 

 

DEVANEIOS

Pensamento voa
Corre mares, percorre ruas...
Perco-me em devaneios,
desfaleço em delírios.
Por onde anda você,
que nunca mais veio me ver?

Ilze Soares

 

 

Devaneio...

Chegaste... qual devaneio
que as amarras logo solta..
mas, também contigo veio
este amor que não tem volta!

Carolina Ramos

 

 

DEVANEIOS

Passeio em minha companhia
Pelos bosques da cidade.
As luzes à meia luz me assombram...
Querem sim me assustar...
Mas não!!! Penso em você com veemência
E com o mesmo carinho de antes
Recebo teus beijos quentes e carinhosos,
Jurando amor eterno...
Mas... para onde foi tão intenso amor?
Alojou-se apenas em meus
Serenos Devaneios...

Maria Olga de Oliveira Lima

 

 

D E V A N E I O S

O que ganha o coração em devaneios
quando desfolha as pétalas das flores;
-Fica a rosa pairando em seus anseios
e o cravo petulante em seus ardores !

Importa ver do alto a magnitude,
se do amor é sinfonia ou lamentos.
Nos bailes da sedução tudo é virtude;
-Jogam-se flechas rápidas e dardos lentos.

Há partos de harmonia e de bonança,
doçuras que nos fazem sentir criança.
Oferecem-se primaveras e fragâncias.

Ser mais feliz; Por isso todos lutamos.
Mas por vezes, mesmo a rir nos enganamos
ou choramos conforme as consequências!

Gina Maia

 

 

DEVANEIOS

Em meus dias, muito lentos,
conto horas tão "rasteiras",
que me ergo dos lamentos
com ações bem costumeiras.

Rita Rocha

 

 

Créditos
Top Extraño
Tutorial by Narah
Tradução de Estela Fonseca
Tubes ©Ana Ridzi & ©Anna-br & ©Hana
Música Caravelli-DioComoTeAmo
Arte e Formatação HildaRosa

 

 

:::VOLTAR:::