Dor

Cássia Vicente

Nos últimos dias a dor era tanta que nem desconfiou que poderia dar a volta por cima num simples gesto. Seu pensamento não tinha mais a agilidade de dias atrás.
Estava agindo pela inconstância entre a dor e a sanidade.
A dor era algo como aguda, profunda, irracional...
Quando estava no ápice era como estivesse em outra dimensão, não sabia o que estava fazendo naquele lugar, naquela hora, daquele jeito sem jeito de mudança.
Recorria às lágrimas, deitava, levantava, comprimidos...deitava, mudava de posição, sentava, gelo...lágrimas...
Nestes momentos, perdia a noção, queria pensar numa solução...em vão...era dor, dor, dor...

ficou vermelho e teve que parar, sua vontade era ter avançado e ter cometido uma asneira, assim talvez esquecesse por alguns minutos sua dor.
Sem coragem continuou parado olhando fixamente para frente, vendo os carros passando sem sentido, quando seus olhos não acreditaram no que vira, assim, sem que o destino poupasse, o motivo da sua dor, atravessando a rua, dentro de um carro desconhecido.
Sem pensar acelerou o carro deixando que o barulho da batida o fizesse esquecer a vida!

 

 

 

 

 

:::VOLTAR:::