Estou aqui hoje para falar de amor, não aquele amor entre um homem e uma mulher.

Aquele amor incondicional que se ama sem pensar em recompensa, sem cobrança, sem aquela doença contagiosa chamada ciúme.
Um amor que transborda perfume suave pelos poros, que é demonstrado nos olhos calmos, nas mãos que amparam, no abraço que aquece sem precisar do contato físico.

Um amor que com certeza você já recebeu e talvez não tenha tido a sensibilidade necessária para entender e sentir.

Fui buscar uma história para deixar mais claro o que queria transmitir a você, encontrei esta que me tocou (infelizmente sem autoria) e achei perfeita para definir este amor que desejo a partir de hoje você possa sentir e praticar.

“Um professor de sociologia mandou seus alunos aos bairros pobres de Baltimore, Estados Unidos, para realizarem estudos de casos individuais de 200 garotos, fazendo uma avaliação do futuro de cada um deles. Em todos os casos os estudantes fizeram a seguinte avaliação: "ele não tem a menor chance".

Passados 25 anos, outro professor de sociologia dedicou-se ao estudo realizado. Pediu que seus alunos efetuassem novos estudos para verificar o que havia acontecido com aqueles garotos pobres.

Os estudantes descobriram então que, com exceção de 20 meninos que haviam se mudado ou morrido, 176 entre os 180 restantes, tinham alcançado sucesso fora do comum como, advogados, médicos e homens de negócios.

O professor ficou surpreso e decidiu ir além da pesquisa.

Felizmente todos os garotos, que agora já eram homens, moravam na cidade. Assim ele teve condições para perguntar a cada um deles, a que atribuíam o seu sucesso.

Em cada caso a resposta era sempre a mesma: "houve uma professora..." E a resposta era acompanhada de um sincero sentimento de gratidão.

Como a professora ainda estava viva, resolveu procurá-la e perguntar que fórmula mágica ela havia usado para impulsionar aqueles garotos à conquista das profissões que tanto almejavam, superando os obstáculos impostos pela condição social.

A idosa, mas ainda lúcida senhora, com brilho nos olhos e nos lábios um sorriso gentil, respondeu: "É realmente muito simples. Eu amava aqueles garotos".

Agora que você terminou de ler, tenho certeza que diretamente foi tocado por este amor não sujeito a condições, este amor que vem da alma e não necessita de olhos críticos, que a partir de agora suas atitudes vão ser repensadas e mesmo quando, se der conta estará se superando através da troca deste amor.

Tenha um bom dia "com muito amor" hoje Cássia !

Cássia Vicente "aprendiz do amor"

 
 
 
Tube Nina Rascha
 
 
 
 
 
 
 

 

::::VOLTAR::::