CONTO DE UMA NOITE DE INVERNO


Cássia Vicente
 
A noite estava fresca, o outono ainda estava marcando presença,
não querendo partir, assim como meu coração teimava em não te esquecer.
Cadê aquelas noites frias invernais, onde a gente curtia vinho e cobertor?
Parecem que se foram junto com o nosso amor.
Seria cumplicidade pra que eu não sofresse mais?
Se o tempo estava tentando me ajudar, lêdo engano,
queria o frio pra me embebedar, deitar na cama fria e desmaiar,
amanhã será outro longo dia.
Com este tempo outonal, arrisco um copo de leite quente,
um cobertor pra enganar o sono e ele insite em trazer pesadelos, suor, dor.
Conto pra noite de inverno o quanto ela me poderia trazer aconhego
e imploro pra que me embriague com muito frio;
que busque no vazio do meu coração
a temperatura abaixo de zero.
 

 

:::VOLTAR:::