A POESIA CHORA
Clara da Costa
 
A poesia chora
assistindo assombrada,
sua imagem triste
 vestida de dor
no desequilibrio das palavras doentias,
cheias de rancor e ódios.
 
Onde está a sua beleza?
Em que labirintos escuros
estão colocando tua ternura?
Onde anda o espírito poético?
 
Ah, poesia!
Eu choro contigo,
abraçada à sua tristeza!


 

 

O ALTAR DA ALMA

Eugénio de Sá

  

A poesia é o altar das nossas almas

Não um monte de versos sem sentido

Ou algo que nos soe bem ao ouvido

Para mostrar e esperar pelas palmas

 

E nesse altar que Deus nos ofereceu

Só há lugar pro que é mais elevado;

Para louvar o bem, um ser amado

Ou perdoar a quem nos ofendeu

 

Não é mercado onde se troquem vícios

Ou a maldade, ódios e frustrações

Nem é lugar pra outros malefícios

 

Que a poesia, senhores, são orações

E esse altar não é para artifícios

Porque Deus o ungiu de bendições .

 

Abril/11