DANÇANDO COM A TRISTEZA!


José Geraldo Martinez



Dobro os meus joelhos...
Arranco o chapéu que estou a usar!
Beijo a tua mão, cavalheiro...
Convidando-te a dançar!

E na tua cintura...
Controlo os teus passos !
A sentir teu corpo que flutua,
como se estivesse no espaço...

E salão afora rodopiamos!
Até perder-nos das horas...
Quando num instante despertamos
a luz calma da aurora!

Ah! Tristeza, daí então...
Nada de teu corpo comigo,
nada de teu rosto querido,
somente fugaz ilusão!

Ah! Tristeza, quem seria ela
que por uma noite dançando eu passei?
Olhando o sol a brilhar em
minha janela...
Descobri, enfim, que sonhei!

Ah! Tristeza, que eu me lembre...
Tinha o teu rosto!
Lábios de pura solidão...

Cujos olhos espelhavam a mim refletidos...
A escutar os meus próprios gemidos,
levado por tuas mãos!

21-6-2012

CONVIDAR A TRISTEZA PARA DANÇAR

Clara da Costa

São devaneios,
loucuras,
ressaca,
romantismo
delírios?

Passeio na madrugada de sinfonias tristes,
num pedaço de qualquer lugar,
mente desnorteada,
mascarando alegrias,
camuflando vontades,
sem rumo,
sem futuro,
tentando encontrar o teu sorriso
nos rostos que perambulam ,
nos olhares perdidos,
à procura do nada e do vazio devorador.

Ah...!!
tantas vezes eu morri,
tantas vezes ressucitei...!

Vou tomar outro rumo,
afogar a saudade,
colorir a monotonia,
pintar um sorriso,
abandonar o ontem,
deixar o tempo correr como areia entre os dedos,
deixar de ser solidão,
e...convidar a tristeza para  dançar!!

Outubro/2011


" As vezes ouço passar o vento e só de ouvir
o vento passar, vale a pena ter nascido"
( Fernando Pessoa )
 
 
martinez.ata@terra.com.br
 
 
# # # 

 Arte final por Lêda Yara
 
 
 
 
:::VOLTAR:::