A SAUDADE TE CHAMA

 
Você ainda corre em minhas veias,
a cada dia que passa…
na canção que sussurra ao vento
nos versos da minha poesia.

Me vejo no teu olhar,
no teu sorriso no retrato…
entre nós passou tanto tempo,
mas é em você que acho minha estrada.

A saudade te chama,
acende desejos em noites nuas,
invade espaços vazios
deixados por nossas loucuras.

Vem,
cola tua boca na minha,
vamos começar tudo outra vez,
sempre existe um amanhã de saída…

***

VEM

Maria de Fátima Delfina de Moraes

Vem sob a luz do luar ou num belo alvorecer.
Entregue-se ao devaneio dessa paixão.
Vem, a saudade te chama...

Farfalham pássaros no alpendre,
sons de ventos a cantar.
Espante do peito a saudade
e os fantasmas noturnos
das noites vazias.
Vem, vamos amar!

Junho/11