...e tudo se transforma em poesia,
num poema em movimento,
na noite que desmaia
adocicada pelo teu sorriso,
quando na penumbra vadia
meio a uma loucura aflita,
misturada a uma deliciosa malícia,
e desejos desenfreados,
 sussurras ao meu ouvido:
Te amo!
 
 
... algo além disso, tenho a te dizer,
sob o mesmo teto estrelado e nas
noites vadias e enluaradas, quando meu
pensamento atravessa distâncias,
ultrapassa obstáculos e chega até ti.
Tomo-te em meus braços e no
mesmo sussurro, digo-te ao ouvido:
Quero-te!
 
Fevereiro/11