O POETA
Clara da Costa
 
O coração sente,
a mão escreve.
O papel,
o cenário de sentimentos.
O olhar pousa sereno no embalo
das palavras,
que saem livremente,
sem amarras, sem medos
de expor a emoção contida na alma.
O poeta vê o amor,
vive do amor,
escreve com amor,
sente o amor,
na solidão do ato de escrever...
As palavras,
 falam em silêncio,
do amor distante, da magia da
natureza,da tristeza
no caos do desamor...e,
com a alma serena,
o poeta acredita na paz,
a cada manhã.
 
&
 
 
O O POETA
Tarcísio R. Costa
 
A mente do poeta parece conturbada
Por dúvidas do passado,
Ele sempre fala o que sente
O seu coração...
 
Ninguém jamais pôde avaliar
Do poeta, a sua realidade,
Dia fala das estrelas,
Dia fala de amor,
Reclama constantemente
Da saudade.
Ele desnuda o seu interior,
É imensurável
A sua sensibilidade...
 
O amor é a sua verdade,
Ele fita o horizonte
Como se lá estivesse
O motivo da sua saudade.
 
Na poesia, os seus verso
Procuram sempre a felicidade...
Parece conversar com as estrelas
As flores são suas sompanheiras,
Visita-as, sempre que
Sente saudade,
Para relembrar o seu amor.
 
Ser poeta é complicado,
Ele mistura tudo, ora fala de amor,
Ora se perde no mundo da desilusão.
Quando a saudade lhe aperta o coração,
Lágrimas cristalinas rolam frias
Pela sua face de dor.
 
 
Tarcísio Ribeiro Costa
 
 
 
 
 
 
 

 
 
*AMAS*
 
 
 
 
 
 

:::::VOLTAR:::