ESPERANÇA
Clara da Costa

Embrulho-me no tempo,
encolho-me nas noites hipnóticas e frias,
como um anjo sem asas que navega sem rumo,
querendo esquecer de ti.

Tua imagem se desfaz no meu pensamento,
palavras mudas,
nada satisfaz,
fico assustada nesse silêncio cinzento.

Calo o sorriso que balança ao vento
levando em cada lágrima
a saudade que diz teu nome
e a esperança de um coração que ainda te ama...
 
***
“DESESPERANÇA”
Marcos Sérgio T. Lopoes
 
E, num sim,
Atribulado não
Vergando a ilusão.
Abocanha-me esse estado lépido
Que me joga no chão
Sem qualquer persuasão.
Queria o impulso
Um rastro de amor
Seguindo seu curso.
Nada!
Apenas essa brecha
Carregada de névoa
Mordiscando meu coração.
Foi-se ela:
Ficou apenas o inverso
Que perambula pelos meus dias.
 
 
 

Edição de Texto : Walkyria Garcia

29/05/2015

“Cativar é ser o outro, quando as almas deixam de ser duas ou três ( ou mais )  para serem apenas uma”

(Luiz Poeta )

 

:::VOLTAR:::