FICA PRA AMANHÃ...

Clara da Costaa / Humberto - Poeta

 

 

Fica pra amanhã...

o telefone que não tocou,

a voz que sussurra em meu ouvido,

os braços que me envolvem com amor.

 

Se do teu fone o tilintar não soa

e a minha voz não chega ao teu ouvido

pra te lembrar de tanta coisa boa

que fiz em ti pra excitar tua libido...

 

Deixo pra amanhã...

aqueles beijos  e carícias atrevidas

que bailam sobre meu corpo,

desvendando meus desejos.

 

Se falta sentes das mãos irreverentes

a te envolver em lúbricos ressábios;

se anseias nos recintos mais ardentes

sentir de novo meus devassos lábios...

 

Fica pra amanhã...

aquela paixão que se esconde

no silêncio das madrugadas.

 

Que amanhã, nada, pois já não consigo

fugir do teu ardor louco e indiscreto;

só de pensar que já estou nu contigo

meu cetro empina, retesado e ereto!

 

Amanhã, quem sabe,

o amor venha fazer festa

nesse corpo que precisa do teu...

 

Não! Inda hoje tu terás que dar

pra mim de novo, com gana e erotismo,

pois só tu sabes como dissipar

do meu membro este eterno priapismo!