Fim de Tarde Na Ilha do Baleal
Clara da Costa
 
Timidamente o sol se põe
colorindo o mar com as cores do arrebol
trazendo ao coração do poeta
sentimentos de amor,
nesse melodioso fim de tarde na Ilha do Baleal.
 
Pensamentos voam ao sabor do vento,
juntando-se ao bailar das gaivotas...
tocado pela brisa, o poeta sorri, se enternece nessa magia,
vagueando entre pensamentos sutis.
 
Nessa trilha sonora da natureza,
a brisa segue a melodia,
cantarolando reminiscências,
sussurrando alegrias.
 
Apenas o som do vento fala, sussurra um lamento,
descortina um sentimento, acaricia esse momento, 
deslizando saudades pelos dedos do poeta,
que escorre seus versos pelas areias da Ilha.
 
Ferrel/Ilha do Baleal/Portugal
Julho/15
 
***
 

...E, do oceano que explode nas rochas em novelos de espumas,
em noites de lua cheia ainda é possivel ouvir
os ecos do bater dos panos das velas das naus de Portugal
batidos pelo vento agreste
e navegando à vista da costa, a caminho da Índias distantes,
e a dolência dos primeiros fados que os bravos marinheiros
cantavam nas amuradas, saudosos das mulheres e dos
filhos que haviam deixado para trás...

Eugénio de Sá

 

 

 

 

:::VOLTAR:::