MINHA ESCOLHA FOI POETIZAR
Clara da Costa
 
Vejo estrelas pela janela,
solitário palpita na penumbra um pensamento,
que entrou sem consentimento,
causando arrepio.
 
Não quero sofrer, calar,
minha escolha foi poetizar,
enquanto ventos tocam minha pele
entre suspiros de saudade.
 
Rasgo todos os meus sentimentos,
teu nome ecoa em minha mente,
beijo-te com meu sorriso,
enfeito-te com meus sussurros.
 
A canção lá fora entorpece meus ouvidos,
banha meus pensamentos,
causa um encanto sublime.
 
Deixo que o tempo páre
cheiro o perfume da noite,
espreguiço no teu colo...
 
***
 

VERSOS QUE CHAMAM

Eduardo Gragnani

 

Versos jogados em energia pura,

entre folhas de uma janela aberta,

proporcionam encantos sutis e inesperados. 

Estava passando

 e, senti você presa em seus poemas de solidão,

não resisti,

mas considerei se poderia ousar,

enfim, nada fiz,

mas me apaixonei.

 

 
Junho/12
 
 
 
 
 
 
Créditos:
Roteiro e arte by Sueli
Imagem recebida na Net
 
 
 
 
:::VOLTAR:::