NA PENUMBRA DAQUELE BAR
Clara da Costa
 
Um arrepio sutil
o tom do silêncio a nos afagar
a doçura do teu sorriso iluminado e travesso
 bailando no meu olhar.
 
Plantamos rosas no peito,
 ao ritmo de nossos corpos atordoados,
em dolente melodia na claridade dos desejos,
 aromas e ais impregnados.
 
Eu, você, o vinho, o blue...
desejos brotam em desalinho
ecoam versos...e a poesia se faz
na paixão que palpita na penumbra daquele bar.
 
 
Praia de Pipa/RN
 
 
 
 
 
 
PELOS BARES DA VIDA
Odir Milanez
 
O bar é sempre a casa do Poeta.
É no bar que o Poeta se completa,
que das Musas recebe inspirações.
No bar não há somente embriagados.
Há poetas febris e apaixonados,
a mesma história e múltiplas versões.
 
É no bar que a su'alma se projeta
além da inspiração, de amor repleta,
iludida das próprias ilusões.
Pelo bar passam passos já passados
sobre as sombras senis das solidões...
 
João Pessoa/PB

 

 
 
 
:::VOLTAR:::