UM DIA...
Clara da Costa

Um dia...
mergulhei nos teus olhos
na tua boca,
embalei meu cansaço
no teu abraço,
gemi sob teu corpo
enrosquei minh'alma na tua.

Um dia...
parti,
fingi não me importar,
sorriso distráido pairando no ar,
palavras
entre lágrimas
desprendiam do meu olhar,
palavras morriam
no silêncio de cada esquina,
entre saudades
desejos
utopias
e sutis restos de ontem.
 
***

É tempo de partir 

Eugénio de Sá

 

  

É tempo de partir, sem mais hesitações

Sem destino? - que importa - Mas partir!

É ingente assumir as decisões

Pois a alguém, mais que a nós, há de convir.

 

Partir, partir, mesmo sem rumo certo

Rangendo os dentes, fazendo por sorrir

Mesmo comendo o pó d’outro deserto

Se isso importante fôr pra nos unir.

 

Temos de reunir os cacos que ficaram

De nós próprios, depois de esmigalhada

Dignidade e amor que nos tomaram

Pois só restou de nós um quase nada.

 

Depois, o sofrimento redentor

Virá juntar-se à velha solidão

E calará em nós o vão clamor

Quando à boca nos chega o coração