VOEI SEM ASAS
Clara da Costa
 
Voei sem asas sobre o brilho da lua,
 sentindo a vida voltar como num suspiro,
o coração descompassado e afoito,
quando tua boca procurou faminta a minha,
suas mãos vadias como rimas entrelaçadas
exploraram meu corpo,
iluminando meu olhar,
despertando desejos adormecidos.
 
Senti a leveza de taças de
versos e rimas dos amores
secretos,
ocultos,
repletos de cumplicidade,
selados naquele abraço
e num beijo
 único
 ardente,
molhado,
apaixonante...
 
 
 
 
NAS ASAS DA POETISA
              
Edson Gonçalves Ferreira
          

Nas asas da poetisa, voei
E senti a vida a suspirar
Ouvindo o coração lírico dela...

Nas asas da poetisa, alcancei
O espaço da felicidade
Sentindo a ternura dela...

Nas asas da poetisa, encantei
A minha tarde
Sentindo o perfume dela...

Nas asas da poetisa, cheguei
Até o paraíso da ternura
Que sinto do coração dela.
Agosto/11
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
*** Favor Manter os Créditos e a Formatação ***
E Mail para Conatato
 

 
 






:::VOLTAR:::