A partida
 
Cássia Vicente
 
Meus pés dançaram a ida,
meus braços travaram a partida.
 
Despi o trapo e vesti a seda
que deixei pra trás.
 
Colori as mãos de baton
e escrevi o coração partido.
 
A doidivanas não quis ajuda
rabiscou sem pensar, a despedida.
 
Melhor assim, sentiu o vento,
sem comentar o tom vermelho.
 
Borrado de dor, se desmanchou
no céu pálido da saudade.
 
Parti, deixando restos de mim.
 
 
Jataí-GO
25.03.2010
 
 
 
 
 
 
 
 
Jpg Mulher
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
:::VOLTAR:::