BOCA
 
Cássia Vicente
 
 
Boca que cola profundo na fofoca,
gosta de dar risos falsificados
na pele que nem fica vermelha,
mente que não ama só pra justificar
fama de mau pedaço
que nem sabor bom tem.
 
Deixa pra lá,
de coisa da china
a rua tá cheia.
 
Boca que clama por um beijo,
tímida se declara apaixonada,
fica rubra quando é observada,
quase engasga de tanta água na boca,
a farinha é do mesmo saco,
já o rato, contaminou só um lado.
 
Deixa pra lá,
de coisa que engana
a rua tá cheia.
 
Boca que mostra os dentes,
entremente não mente desejo
passa batom com cuidado
pra deixar a marca do pecado
bem delineado
do pescoço ao calabouço.
 
Deixa pra lá
de coisa que assanha
a rua tá cheia.
 
De boca 
lustrando cor vermelha 
na parada de sete de setembro,
 a rua tá cheia.
 
 
Jataí-GO
18-09-2010
 
 
 
 
 
  
 
<