ENTRE INDAS E VINDAS

Cássia Vicente

Sempre existe um caminho,
é verdade...
às vezes meus olhos não querem enxergar.
Por teimosia,
porque será que sou miope?
Comodismo, necessidade, medo, desejo?...
dsespero, apego, desapego?...sabe-se lá.
São tantos egos a despejar mel e fel
que a mistura como água e óleo
correm em paralelo
na boca do ralo da vida.

No asfalto desenhando paralelepípedos,
não quero estragar o salto dezoito
pensando que tenho dezoito anos.
Ah se fosse verdade...


Pouca casualidade, muita formalidade
interrompe o rompante
do pagar pra ver e seja o que Eu quiser,
porque meus deuses nada têm com isso.

Porisso disfarço culpando os não culpados
e algemando os já alforriados?
Sabe-se lá...

Nunca se pode prever uma mulher
em meio ao caos.
Ah então fica o irracional.
Raciocinar como uma mulher
é enfermidade sem cura.

Entretanto, entre tantas indas e vindas,
uns ficam, outros se vão...

Jataí-GO
28-01-2011

 

 

:::VOLTAR:::