NOITE DE ABANDONO
Cássia Vicente
 
 
 
  Mais uma noite de abandono
não tenho toques, nem sensações,
um carinho enorme, não tenho desejo de homem,
coitada de mim...
E os sonhos me chegam tão distantes, porquê?
queria pousar meus olhos somente, nada mais...
Estarei enganando a quem?
Li uma frase, nem me recordo de quem,
apenas gravei...
quando se ama, o toque não importa.
Me perguntei, pra quem?
 Decerto quem falou era um anjo, um sádico, um sábio,
ou mesmo um apaixonado que entregou os pontos
e disse amém...
Se bem que, já está amanhecendo,
continuo no abandono e não posso culpar ninguém,
nem mesmo eu, nem tampouco o destino,
porque ele não se fez sozinho...
Culpa de quem?
Do bicho-papão da noite, da fada da madrugada ,
do amanhecer pálido,
ou...realidade...a pálida serei eu?...
Amém!
 
MT-12-11-2010

 

 

:::VOLTAR:::