RALA E ROLA
Cássia vicente
 
 
 
 Os bois bebem a água quente .
 
Dispa seu James Jean e curta meu vestido rodado na toalha xadrez.
Uma cerveja e a dança começa na horizontal.
A garrafa se equilibra na garganta seca ,
nada é mais delicado depois de um gole no gargalo.
 
Os bois, morro acima, curtem  a festa.
 
Apresente seus óculos escuros aos meus olhos.
Uma dose de entusiasmo ajuda no rala e rola. Lige o som.
A garrafa vazia com o gargalo morro abaixo,
seus dedos escorregam mais embaixo.
 
Os bois observam embaixo da árvore de copa amarela.
 
Deixe queimar meu corpo sem protetor.
Uma marquinha a menos vai fazer toda a diferença.
O decote  pode deixar à mostra meus seios cheios de desejos
para a próxima vez.
 
Os bois e os olhos da tarde bem espertos , pastam o capim quente .
 
 
Jataí-GO
24-04-2011