Um terço ao amanhecer
Cássia Vicente
 
 
Para começar a noite
olho para a lua cheia de mistérios.
 
Plena de desejos ouço o lobo que uiva
 na mata chamando sua presa,
me pego uivando na cama uma prece à minha sina
para que seja mais caprichosa comigo.
 
Adentro aos pecados devassos,
sob os lençóis me junto ao uivo lá de fora e vou a forra.
 
Nada que um terço ao amanhecer
não possa perdoar os percalços
de momentos alinhados à paixão fumegante
que meus ossos descomportam
em minha pele extremosa.
 
Para começar o dia, depois de recomposta,
aposto no vestido cobrindo os joelhos
e um belo par de asas
para esconder as marcas
  coradas pelo pudor matinal.
 
Ninguém percebe que espero
ansiosa pela lua...
 
 
maio 2011
Cássia Vicente