Pergunte para a lua
Cássia Vicente
 
 
Libertei as amarras 
que prendiam minhas pernas,
corri para a rua.
saltitei até onde mais queria,
...daí por diante
nem te conto...
Ah! demência nua!
A carência se perdeu
entre coxas em conchas.
O azul do céu 
vagou entre olhos noctívagos
deixando um recado para a lua
se aperceber que naquele dia
ela não poderia se esconder
porque corpos queriam se ver.
Ah! nem te conto!
pergunte para a lua...
 
Jataí.GO
08.05.2009
 
 
 

::::VOLTAR::::