UMA PROMESSA
Cássia Vicente
 
 
 
Um ruído surdo
quase mudo
atordoa minha pele
 eleita na saudade
já declarada insanidade
pela vontade de ser realidade
as mirabolantes rezas
que terminam em reserva
para quem sabe...amanhã.
Transpiro o suor fingido de calor
que na realidade é tesão reprimido
ou coisa parecida com necessidade.
Rezo um Credo.
Imploro numa Ave Maria.
Replico num Pai Nosso.
No caso de ser ouvida
prometo um terço por inteiro
depois dos lençóis desfeitos.
 
Jataí.GO
24.03.2009
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

::::VOLTAR::::