No morno som da solidão

Esse amor que ainda mora em mim

Sem freios

Quisera eu...

Longe, você é sempre saudade

Não é o final...

Que o amor seja o tema

Meus versos

Uma estrada qualquer...

O tempo passa

Aquarela

Diferentes caminhos

Aprisionando verdades

Por ai...

Sem conserto

Perversa solidão

Nessas noites frias

Nas asas do devaneio

Quando pensar em mim...

Agora é passado

Hoje eu quero...

Na tarde que cai

A parte que falta

Perdidamente solitária

Um amor perfumado de hoje

Querer à flor da pele

Trilhos do destino

No horizonte do meu destino

Retrocesso

Um amor...

O tempo passa

Devaneios

E assim...

Pedaços de saudade

Entre taças

....A folha em branco

Tristeza

Te espero

Não era para ser

Pecado

Nossos retratos emoldurados

Nosso amor

Pensamento

A saudade sorri

A quietude chega

Assim é o meu amor

O coração do poeta

...Nessa vertigem de sentimentos

A poesia se faz

Fecho os olhos

No olhar

De repente

Estranhamente apaixonada

À deriva do momento

Nas lembranças

Algo precioso

Teu olhar me cativa

Difícil poetizar sorrisos

Vem...

Um adeus

Naquele dia...

Sem ele

A brisa

Pássaro errante

Bendito

Nosso amor

Devaneios