A chuva
Cássia Vicente
 
 
 
A horas a chuva cai,
raios, trovões, vento...
 
Sinfonia dos Deuses que
não poderia ter chegado
em melhor hora...
 
Delicadamente os pingos
vão lavando a tristeza
que a terra sentia,
por tanto tempo esquecida
ressequida entre o sol e
a poeira fina...
 
Descaradamente, a alma
sentindo-se na mesma situação
não se fez de rogada...
 
Deixou que o vento levasse consigo
a dor da saudade...
 
Pediu carinhosamente que
os pingos d´água lavassem
o coração mascarado pela poeira da dor...
 
Respirou tão profundamente
levando pra dentro do peito
a energia dos raios,
a força dos trovões,
caprichando no armazenar da sabedoria
que o momento estava proporcionando
como presente divino...
 
Podia sentir a alegria lá de fora
misturando com a do coração que habitava
numa simbiose de vozes cantarolando alegremente
o final da dor, o vigor das cores e cheiros,
o caminhar alegre de seres entre a nova condição...
 
A alma se sentia a própria terra em renovação...
 
Jataí.GO
31.08.06

 

 

 

::::VOLTAR::::