A MORTE DA POESIA

Cássia Vicente

 
 

As últimas palavras caem por terra.

Despencam as vogais, o que fazer com as consoantes?

Antes que se consumam, melhor empurrá-las escada abaixo.

"Cai morta a Poesia"!

O funeral foi aceito na academia.

O comentário foi geral: "outras com certeza virão das mãos do poeta quando se entregar a uma nova paixão".

Para o seu epitáfio foi escrito pelas mãos trêmulas do poeta:

"Aqui jaz a Pobre Poesia que não resistiu ao fim da paixão".

 

Jataí-GO

Abril 2010

 
 
 
 
 

 
 
 
 
 


 
 
 

 

 
 
 

 

 :::VOLTAR:::