Sem Saída

Cássia Vicente

Por um tempo acreditei
que nunca mais perderia teus olhos.
Por alguns bons anos pouco os olhei,
mas os tinha todos os dias.
De repente meus olhos se tornaram
a mais alta das cachoeiras
onde teus olhos não mais podem alcançar.
E tampouco os meus, os teus.
Inconformada, pergunto ao meu coração:
E você, como vai ficar,
vai aguentar outra separação sem adeus,
o que os olhos não veem, não sente o coração?
Meu coração não responde,
prefere se afogar nas águas,
fingir que não entendeu e de gole em gole
levar ao estômago o gosto
que nunca vai esquecer, o teu.
E vocês, como ficarão? pergunto aos meus olhos.
Meus olhos respondem num aperto doído:
Ainda não sabemos...


Jataí-GO

16-11-2010

 

 

 

:::VOLTAR:::