Bom Dia !

Você ouve bem?

Consegue ouvir ou gosta de apreciar uma bela música?

Já imaginou compor alguma, para celebrar a vida. Homenagear a pessoa amada, prestar seu tributo de louvor ao divino criador do universo, através da música?

Agora, pare por um instante e imagine, fazendo tudo isso, sendo surdo!

Acredita que seja possível ?

Então conheça alguém que fez isso... Suas composições continuam fazendo sucesso mesmo há mais de 180 após sua morte.

Inspire-se em Ludwig van Beethoven!

Beethoven nasceu em 16 de dezembro de 1770, em Bonn, na Alemanha. Desde menino, já tocava piano melhor do que a grande maioria dos adultos. Aos sete anos de idade, deu o primeiro concerto, aos onze, era organista da corte, em Colônia, e aos doze, apresentou a sua primeira composição significativa.

Seu pai era cantor da corte, porém, devido a sua embriaguez, a família passava por grandes dificuldades. Costumava chegar em casa cambaleando, e por muitas vezes, arrancava Beethoven da cama diretamente para o piano, forçando-o a estudar por horas, não poupando cascudos e safanões quando a criança exausta, errava uma nota.

Em 1792, pouco antes de completar vinte e dois anos, Ludwig mudou-se para Viena e aos poucos, espalhou-se a fama do seu talento. Os vienenses amavam a música e compareciam em massa para ouvir Beethoven.

Aos vinte e sete anos, começou a notar um zumbido nos ouvidos. A princípio, ignorou, mas o zumbido piorava cada vez mais. Por fim, consultou alguns médicos, e o diagnóstico foi pior que uma sentença de morte: Beethoven estava ficando surdo.

Encontrou refúgio no campo, onde dava longos passeios pelos bosques. “Aqui, a surdez incomoda menos que em qualquer outro lugar, e as árvores parecem me falar de Deus”, escreveu.

Convencido que ia morrer, Beethoven confessou sua vergonha e desespero frente a surdez, num testamento endereçado a seus irmãos. No entanto, ele fez algo muito mais corajoso do que desistir, entregou-se à arte.

Continuou a compor, ainda que a melodia soasse cada vez mais fraca aos seus ouvidos. À medida que perdia a audição, suas composições se tornaram mais fortes, altamente emocionais e vibrantes, como sua vida, corajosa e turbulenta. Por estranho que pareça, compôs suas melhores obras, aquelas que mais conhecemos, depois de perder a capacidade de ouvir.

Apesar de viver sozinho e infeliz, compôs musicas sublimes. Morreu em 26 de março de 1827, em Viena, e alguns amigos dizem que suas últimas palavras foram:
“No céu, vou tornar a ouvir”.

Inspire-se , em pessoas que tinham tudo para desanimar, desistir de seus sonhos, mas foram em frente e deixar seu nome inscrito na história e ainda presentearam a humanidade com uma obra maravilhosa.


Pense nisso...

Tenha um Bom Dia HOJE!

Sigmar Sabin
Professor, Palestrante e Aprendiz da vida

 

 

 

Tube flor Alexandra gonzales

Tube fada Gini

 

 

 

 

 

 

::::VOLTAR::::