O Coração
Cássia Vicente
 
 
De todos os nossos orgãos o coração é o mais pronunciado.
 
Ninguém sonha sem ter no coração um desejo,
quando olhamos para alguém especial quem dá o primeiro sinal é ele,
quando uma lágrima cai, ele antes doeu...
Quando a inspiração aflora é dele quem vêm as palavras...
De vez em quando ele parece que vai arrebentar o peito e sair correndo,
outras vezes ele fica tão caladinho que a gente pensa que ele morreu...
Ele, a gente não consegue enganar com um comprimido, mas podemos
pegar no colo e acariciar quando desejarmos...
Podemos compartilhá-lo sempre que desejarmos e podemos seguir a carreira solo
sem que ele se modifique.
Ele é sólido, líguido, gasoso a nosso gosto, a olhos vistos...
Com ele construímos castelos de areia e depois com um simples sopro o mandamos pro ar,
e nunca mais recordamos; construímos sólidas pontes que nem mesmo a mais potente bomba
destrói; plantamos um jardim perfumado e cada flor é doada com amor; cultivamos ervas
que sanam toda e qualquer insanidade e desamor.
Ele se permite ser cantado, declamado...permite ser machucado, paparicado, desejado, mas,
jamais ser esquecido...
Há quem diga que alguns não o possuem, lêdo engano, apenas não aprenderam a sua magia, ainda.
Outros dizem ter mais que um porque pensam ele não suportar tantas intenpéries, mas,
ele é fortificado pela essência que ainda desconhecemos, nós leigos nesta matéria.
Ponho aqui, um ponto final nesta divagação, porque falar dele, poderia eu, preencher páginas a fio...
Estas poucas letras resumem o que sinto...que...
O seu tamanho não é medido pelo físico, sim pelo estrafísico que é imensurável.
 
Julho 2011