Pensamento para um Bom Dia HOJE:
Grandes Realizações são possíveis quando se dá importância aos pequenos começos.
(Martha Medeiros)

Bom Dia!

Você tem medo de ser diferente ?

Se você for surpreendido com esta pergunta, responderá impulsivamente que “sim”, ou na melhor das hipóteses pensará um segundo e responderá da boca pra fora, “não”!
Veja que eu disse "da boca pra fora", porque garanto que por dentro você tem medo de ser diferente, de ousar, deixar o coração te levar, mandar às favas de vez em quando as regras e não se importar com o que os outros vão pensar ou comentar, isso porque foi educado desde o berço para obedecer as regras básicas que a sociedade impõe desde sempre.

Quando terminei de ler o texto escrito por “Zibia Gasparetto”, pensei ser oportuno que você também o lesse, já que estamos numa época em que no mínimo tentamos repensar nossas atitudes, prometemos mudanças para o próximo ano e quando ele chega a rotina fala mais forte e cala nossos planos, mesmo porque a mudança de um ano para outro não faz diferença na cor da noite, nem o sol brilha diferente, não acordamos com outro visual; é tão sutil que nem percebemos que para desenharmos nossas metas usamos uma nova página.

Num impulso que já me é costumeiro, comecei a escrever este texto e vou enviá-lo ao professor Sigmar pedindo que ele permita que mais uma vez eu adentre ao “Bom Dia HOJE” para compartilhar com você este aprendizado-reflexão e também para agradecer por estarmos juntos durante mais um ano que se finda lendo todos os dias as palavras do professor Sigmar e de seus colaboradores nos proporcionando momentos de “auto-aprendizado-reflexão”, um trio que nos faz pensar e repensar nosso dia-a-dia.

Vamos ao texto de Zíbia Gasparetto:

"As religiões, a sociedade convencionaram o certo e o errado, utilizando critérios próprios. Quem obedece a esses critérios é catalogado como pessoa equilibrada e é aceito pela maioria. Diante da conquista de novos conhecimentos, essa avaliação vai se modificando.

A verdade vai aparecendo aos poucos. Copiamos os modelos instituídos porque desejamos ser aceitos e amados pela maioria. Acreditamos que isso seja valorização.

Mas o que fazer com nossos sentimentos que não se encaixam nesses papéis?

Ignorá-los? Sufocá-los para que ninguém perceba que somos diferentes?

Temos medo de ser diferentes.

O que tememos já está acontecendo. Nós somos diferentes. Cada um é cada um. Não existem duas pessoas iguais.
Você morre de medo de não ser "certinha"?

Nesse caso, em tudo que vai fazer há sempre um severo juiz dentro de sua cabeça, avaliando se cada ato seu está ou não dentro do papel. Será que isso está certo?

O medo de fazer "algo errado” é tão grande que há pessoas que não fazem nada sem antes consultar os outros.
O pai, a mãe, o irmão mais velho, o amigo inteligente, o guru, os espíritos, o psicólogo, o tarô, a cartomante.
E como cada um é um e tem seu próprio modo de perceber as coisas, os conselhos serão tantos e tão diferentes que, no fim, a indecisão fica maior.

Sempre que você pergunta aos outros, o que deve fazer está se classificando como incapaz. Isso é uma grande ilusão.
Por ser diferente, você não é inferior a ninguém. Não lhe falta nada. Você é só você. Tem seu próprio modo de sentir e de fazer as coisas.

É tão capaz quanto qualquer pessoa. O problema é que você não acredita, não confia em si e dessa forma abdica de seu poder de realização.

Pergunta-se: Você sempre faz o que seu coração pediu ou o que seu juiz lhe dizia que deveria ser certo?

Quando foi contra seu coração, lembra-se da sensação de vazio e de aperto no peito que sentiu?

Pois é. Esse aperto no peito é indício seguro de que você sufocou seus verdadeiros sentimentos, se anulou em favor do papel social.

Quando não somos verdadeiros, a insatisfação aparece. Todas as pessoas que não se acreditam boas tentam compensar. Como sentem vergonha do que pensam ser, fingem ter virtudes que ainda não possuem, mas que gostariam de ter. Para elas, errar seria um caos. E como "sabem" que estão sendo falsas, não se respeitam e perdem a dignidade. Ninguém pode ser feliz se sentindo assim.

Foram aqueles que saíram do "Padrão" e das "regras" do convencional que acionaram o progresso do mundo sem se preocupar com o certo ou o errado.

O próprio Jesus Cristo se tivesse entrado nos padrões sociais de sua época, teria fracassado em sua missão. O carisma é uma expressão da alma. Quando a alma fala, sua essência espiritual e divina se manifesta, e a pessoa brilha, conquista, aparece. É nela que reside sua força e poder. Negá-la é preferir a obscuridade.

Se você quer ser feliz, mande embora seu "severo juiz", ouça seu coração. Valorize o que sente e seja uma pessoa verdadeira. Assuma seus sentimentos. Só diga "sim" depois de sentir o que realmente quer. Caso contrário, não tenha receio de dizer "não".

Deixe de contar seus problemas aos outros e perguntar o que deve fazer. Confie em seus critérios, Você pode!

Experimente. Temos medo de ser diferentes. O que tememos já está acontecendo: Somos Diferentes!

Você pode mudar sua vida, está em suas mãos criar e modificar o próprio destino. O poder é só seu.

Agora, depois de ter lido, reflita ...

O que você vai responder quando lhe perguntarem: Você Tem Medo de Ser Diferente ?

Eu, Cássia Vicente, aprendiz de poeta, já ha algum tempo não tenho medo de dizer: Eu Não tenho Medo de ser Diferente!

Desejo que seu Natal e seu ANO NOVO sejam recheados de muito Amor, pois ele responde por todos os outros bens que conquistamos.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tenha um bom dia diferente HOJE E SEMPRE, SEM MEDO DE SER FELIZ!
 
 
Cassia Vicente
 
 
 
 
 
Ao encaminhar, não retire este rodapé e nem modifique o meu trabalho.
Respeite meus creditos!
When forward, do not remove or modify this footer and my work.
Please respect my credits!
 
 
 
 
 
Arte/FormataçãoTeacEuzebio2008 
 
 
Formatting For Exclusive Use Of IM.
Personal Use Only - Not For Profit!
Uso Pessoal - Sem fins lucrativos!
I do not authorize to change my job.
Não autorizo que modifique o meu trabalho.
Arte e formatação by TecaEuzebio
 

 

 

::::VOLTAR::::